Read Time:2 Minute, 49 Second

4 dicas simples para comer bem em tempos de orçamento apertado – Blog da Bella Falconi

0 0

Crédito: iStock

Em tempos de crise, quando o orçamento está apertado e não deixa margem confortável para luxos, fazer uma alimentação saudável acaba, infelizmente, se tornando a última coisa entre as prioridades na hora do planejamento familiar e de fazer as contas.

Em tempos de crise, as pessoas optam por alimentos com grande rendimentos e de baixo custo como alimentos prontos, massa ou arroz branco, mas que nem sempre são as melhores opções gastronômicas por serem ricas em carboidratos simples, elevarem a glicemia rapidamente e apresentarem pouco valor nutricional. Mas será que é possível comer bem, ter uma boa alimentação e uma dieta equilibrada, mesmo com pouca grana? Sim.

Engana-se quem acha que para comer bem é preciso gastar muito. Não necessariamente a alimentação mais nutritiva será aquela que mais pesa no bolso. Os chamados produtos light ou zero disponíveis nas prateleiras do mercado não são automaticamente sinônimo de mais saudáveis e melhores, o que abre espaço para produtos naturais, não processados e altamente nutritivos que estão bem diante de nós e custam bem menos do que outras opções ditas saudáveis.

Abaixo trago algumas dicas para manter a dieta e a saúde mesmo em tempos de restrição financeira. Confira:

1. Reduza o consumo de proteína animal

Embora não se possa negar o papel da proteína animal em diversas dietas, não é necessário ter, por exemplo, a carne vermelha em todas as refeições.

Tenha uma alimentação à base de vegetais acompanhada de carnes como frango e peixes. Espécies abundantes no litoral brasileiro como a sardinha costumam sair bem mais em conta e são extremamente nutritivas. Esta mudança será boa não só para a sua carteira como para a sua saúde.

2. Compre fruta ou vegetais de época

Devido a sazonalidade, frutas e vegetais variam de preço ao longo do ano. Opte por frutas, legumes e verduras da época para aproveitar sempre os menores preços, devido a maior produção.

Além disso, comer mais legumes e verduras aumenta a ingestão de fibras, o que ajuda a regular o intestino, a absorver gorduras e aumenta a sensação de saciedade.

3. Troque refrigerantes por água ou chás

O refrigerante, além de ser uma bomba de açúcar adicionado e corantes, que são apontados por alguns estudos como possíveis causadores de câncer, pode também pesar no orçamento familiar quando se está com pouco dinheiro. Dois Litros de refrigerante, que rende aproximadamente de 8 a 10 copos, pode custar até 10 reais. Se o consumo for diário, de segunda a sexta, temos 200 reais por mês somente com isso.

Em vez de refrigerante, opte pela água ou pelo chá como substituto. Uma caixa de chá com 25 saquinhos ou um pacote com a erva moída do seu chá preferido pode custar menos da metade do preço do refrigerante por cada dois litros de preparo, e ainda adicionando benefícios para a sua saúde.

4. Vá à feira

As feiras costumam ser boas oportunidades para comprar alimentos frescos e a bom preço. Apesar da modernidade e dos hipermercados, ainda é possível encontrar feiras semanais ou quinzenais em praticamente todas as cidades do Brasil. Use as dicas da época das nossas avós e pesquise, pechinche ou até mesmo aproveite o final da feira, onde os preços tendem a cair.

Ali podem ser adquiridos legumes, verduras e frutas mais frescas e muitas vezes direto do produtor. Em geral, pequenos produtores costumam oferecer produtos de maior valor nutricional.

CORREIO DO ESTADO

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Previous post O que morcego, ebola e o “olhar do vírus” nos ensinam sobre a nova epidemia
Next post Precisamos falar de etarismo, o preconceito de idade que afeta até a saúde – Blog Ageless